Está-me a falhar qualquer coisa…

Gosto de observar e ouvir. Aprendo. Ou deliro. 1) Ouço avidamente quem sabe pensar criticamente e bolso a malta dos “cultos”, cuja única preocupação não é ouvir antes sim regurgitar bílis. Mas a sua dor, raiva e insubmissão também me faz sentido. São insubmissos aos governos e ao status quo e submissos ao culto. Contradição nos termos. Porque…

Vamos roubar e aproveitar enquanto pudermos. E o VAR.

Há poucos dias celebrou-se o dia da queima de livros em Berlim, momento que nos recorda um dos piores dias de consciencialização sobre o que aí vinha para a humanidade.  Há poucos dias celebrou-se a queda do muro de Berlim fazendo “cair” uma guerra fria que dura até hoje sob novas formas.  Hoje celebramos o…

Artivismo político. Receita de mulher a levedar

Amasse a massa. Espalhe farinha de fé e esperança. Ensine como separar a massa das trevas azedas. Cozinhe em fogo alargado ao amor. Deixe a luz entrar sem medida. Não deixe mãos sujas tocar-lhes a alma da massa. Apenas o toque do amor a pode afagar até ficar transparente e livre. Em particular nos países…

Empacotar e sair. Foste despedido!

A história breve de um personagem Shakespeareano, o Renegado A cena tem a Casa Branca de fundo, na sala oval, um rei chora debaixo da secretária. Está a empacotar as inutilidades. Os inútensílios que trazem memórias amargamente doces de um poder que se julga não apenas grande, como eterno. Lamuria-se amargo e vingativo num solilóquio…

A Idade das trevas modernas

Em 2020. Ano de pandemia. Ano de estado mental duvidoso. Calamitosamente bárbaro. Terrorista. Uma mulher, preta, camponesa, nua. É perseguida numa estrada no mato, na província de Cabo Delgado, recebe vergastadas de quatro homens, pretos, é executada com trinta e seis tiros. É deixada nua na estrada, morta, executada. Por feitiçaria. Dizem. Não há razões.…

Viva o 24 de Abril

Ser cidadão consciente é uma obrigação ética e moral. Qualquer semelhança com a realidade pode não ser coincidência. História surreal inspirada em factos surreais. Tarde ventosa na linha. Numa sala virada a sul, com chaise longues de padrões beije e verde, psichés da avó Madalena, cortinas de brocados e lamés corridas, um grupo de homens…

E agora?

Confinou-se um país para baixar uma curva e não fazer colapsar o SNS. Afinal este estava ligado ao ventilador e faleceu com tudo o que já se desmascarou. Nos lares, nos hospitais, nos centros de saúde. Exaustos e mal pagos, os que restam num SNS depauperado baixaram a curva e mostram as feridas a nós…

Dilema do manicómio

“Fica bem no país que tão bem te acolheu e te formou”. Ainda tenho que ouvir isto? Bem, cuidado com o que me dizem. Pode servir para mais um texto didático. Esta frase foi-me dita hoje por eu estar a criticar a manifestação sem ventura de uma chaga que precisa tornar-se um desconseguimento prático. Por…

Efervescência

Decorre um jogo. De alto coturno. Uma bota pesada pisa. É a história que decorre. Como noutras épocas, há sempre uma história do jogo. Esta é a história da efervescência. Há cinco meses o mundo bulia. Como leite a ferver, subindo na cafeteira que o aquece. Prestes a derramar. Nas ruas de Santiago do Chile,…