Cabo Delgado

Onde estás esperança? Onde estão qualquer dos deuses escolhido para fazer a guerra? Estão nas mãos merdosas dos homens. 

Cabo Delgado, degolado, um caso sério de malandragem onde os abandonados são os do costume. Cabo Delgado é muito rico (minério, pedras preciosas, madeira são exemplos). Tem neste momento as maiores empresas do mundo na exploração de gás natural (não são Moçambicanas).Cabo Delgado tem características geográficas e humanas muito especiais e foram elas que proporcionaram a entrada por ali do Islão extremista. Há anos que o lugar se prepara. Assisti ao seu assentamento com muita preocupação. Quando me vim embora as mulheres usavam burka ( com aquele calor e humidade). Escrevi uma crónica mencionando o caldo. Tenho outras crónicas passíveis de me levarem à degola. O caldo já não estava a cozer, apurava. Assenta num dos pilares que mais riqueza origina, o da pobreza.  

Além das forças da natureza que o destroem, há forças instaladas no seu interior, no poder e nas mãos invisíveis do poder que não querem ver o país desenvolvido e o colocam à mercê da destruição. O país está nas mãos dos vendilhões do templo. Se não fosse assim, o poder, a ONU, a UE e a União dos Países Africanos estariam unidos a defender os abandonados do costume. 

Não tenho mensagens de esperança, gostava de ver aquele povo ser a própria esperança. Porém vejo as aves de rapina estenderem as garras. 

Aquela terra que aprendi a amar e a admirar – o seu povo makonde sempre considerado “carne para canhão” está em parte agora do lado dos extremistas ( foram ensinados ao longo dos anos e fartos que estão de ser destratados, juntaram-se do lado que lhes der de comer, ou pelo menos prometer), resta-lhes sujar as mãos para terem uma fatia do bolo. A Tanzânia ali colada também não entende porque razão só Moçambique há-de ter todo o bolo… Não nos esqueçamos que as fronteiras são artificiais e desenhadas pelos Europeus na Conferência de Berlim há 130 anos. 

Titia, titio, menino, jovem que te vês metido no meio de uma guerra de interesses muito suja, que envolve muitos países, que se estão nas tintas para o teu pescoço, desejo que um dia vejas a cor da esperança. Ou antes, que sejas a própria esperança. 

Eu neste momento já não vejo nada. Só vejo psicopatas excitados pelo cheiro de sangue e das riquezas.

Anabela Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *