Carta aos Queridos Bombeiros (por Anabela Ferreira)

Foto de Pedro Brás- bombeiro em Santa Comba Dão

(Pedrógão -62 mortos que nos gritam (números provisórios) )

Li por aí que ganham €1,80/hora (mais coisa menos coisa) para fazerem as tarefas de Cristo o Salvador.

Ou seja não têm medo de morrer e ainda se atiram às chamas com o espírito de missão. Pelo que sei, foi mais ou menos o que contam que Cristo fez, mas com pregos. 

Vocês fazem-no por – repito – €1,80/hora – sem estarem a olhar para o relógio de ponto – barras energéticas e paletes de solidariedade quando as coisas correm muito mal. 

Cada vida perdida significa que a missão correu muito mal. Obrigada por existirem. 

Juro que comparo o vosso espírito a Ghandi mas com botas e roupas apropriada.

Só o espírito de amor incondicional é que vos tem nessa vida. 

Eu não seria capaz. 

Países existem que tratam a corporação como verdadeiros profissionais do heroísmo. 

Nós por cá tratamo-vos como os convidados para um churrasco sem precisarem de trazer água ou molhos. Comemo-vos a cru. Desavergonhadamente. 

Repito, oferecemos 2% do pib para pagar guerras (para a corporação Nato) e dígitos (corporação banca) e quem sabe umas off-shores no Panamá, mas para vos pagar condignamente para irem morrer por nós…é mais bolos e eucaliptos.

Salvamos os eucaliptos, os lobbys, os lucros, os tachos, os custos baixos, a corrupção, os interesses…
Digam lá se não é uma sacanagem do pior? 

Apenas porque somos governados pelos menos capazes, os menos inteligentes, os humanos menores.

Não aceitem palmadas nas costas e abracinhos de gratidão, condecorações etc, nem sequer da minha parte. 

Eu sou uma hipócrita. A minha arma é uma pistola com lápis, não pego num martelo e em pregos para crucificar os que não vos sabem dar as condições necessárias – com o dinheiro dos impostos – quando vocês precisam de ir para o terreno sufocar por nós. 

Nós ficamos em casa a rezar por vós. Depois acendemos velas se vocês ou outros morrerem.

Continuaremos a morrer engolidos pelas chamas de um fogo fátuo endeusando prata e ouro, sem a glória de termos fintado esta gente que nos desumaniza e diminui, nos impõe e saem impunes dos crimes contra a Humanidade.

Se adormecemos moldados à forma onde nos querem cozer, nunca mais nos deixarão sonhar. 

E para sonhar já não podemos dormir.

Novo despertador a tocar. Precisamos acordar a consciência. Estamos a ficar atrasados e a vida não espera.

E também já não precisamos que mais vozes de mortos nos venham acordar deste sono pesado tornado realidade.

A ética foi comprada pelo dinheiro e a moral substituída pela política.

Não sei que mais dizer nem às vitimas nem às suas famílias. Desculpem-nos. Por não nos termos revoltado. Ainda. E já vamos muito tarde.

Desconfio que vai continuar tudo igual – incluindo os fogos que como os santos populares são uma tradição de verão – como nós hipócritas não nos levantamos do chão sagrado onde pessoas perderam a vida, e tantas outras vocês salvam, para vos defender. 

Obrigada meus heróis.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *