As reformas laborais da chamada esquerda parlamentar

Como já tive, por diversas vezes, oportunidade de salientar, as chamadas “reformas laborais” defendidas e implementadas para servir os interesses do grande capital financeiro têm, nos últimos 40 anos, assentado sempre numa dupla lógica (cujos termos, porém, são sempre convenientemente apresentados com a natureza de “medidas de carácter técnico” e de postulados indiscutíveis e que, por isso, não poderiam nem deveriam ser debatidos)

Este é o Estado que temos. Mas é este o Estado que queremos?

E por isso se torna cada vez mais claro que a tarefa que nos compete a nós, cidadãos, não é a de mudar simplesmente de Governo ou de titulares de cargos públicos, mantendo tudo no essencial na mesma. Mas antes prepararmo-nos para demolir este Estado e construirmos de raiz uma Sociedade em que quem manda é quem trabalha e não quem vive e se enriquece com o trabalho dos outros!

A dupla tragédia das vítimas de doenças oncológicas profissionais

A situação dos cidadãos atingidos por doenças oncológicas é, já de si, bastante dramática, não apenas pelo elevado grau de morbilidade das mesmas, mas também pela dor e sofrimento que lhes estão muitas vezes associados e pelo elevado grau de incapacitação, quer física, quer também psicológica, que as caracterizam. As mortes anuais em Portugal por…