A Esquizofrenia da direita e o pacote Draghi! (por Estátua de Sal*)

austeridadeDraghi tomou algumas medidas que a Direita nunca quis e que a Alemanha sempre quis evitar.

Evitá-las era uma forma de impor as badaladas “reformas estruturais”, que não são senão um eufemismo para falar em cortes de salários, desregulação do mercado de trabalho, diminuição da despesa dos Estados, mormente as despesas sociais, amputação da procura interna.

Passos Coelho e os seus acólitos e prosélitos, sempre disseram que a política monetária do BCE nunca deveria mudar, que a tal se opunham, e sempre verberaram quem defendesse tal mudança.

Pois bem, a austeridade falhou, a economia europeia está à beira do abismo. Draghi foi obrigado a intervir para que os Estados possam ter uma politica orçamental mais expansionista, Merkel teve que engolir um sapo.

Mas porque digo que a Direita e os seus plumitivos são esquizofrénicos? Porque dizem agora que as decisões de Draghi (que eles sempre recusaram) são boas, mas que só agora podem ser tomadas, porque o País sofreu a austeridade que conhecemos e a destruição que sabemos: sem termos passado pelo calvário, não haveria hipótese de chegar ao limbo.

Pois bem, grandes mitólogos da esquizofrenia. Manipuladores da aldrabice. O BCE só toma estas medidas porque as badaladas reformas estruturais, geraram a devastação, geraram a destruição da atividade económica, geraram a queda da procura interna, a queda do consumo, e no fim do percurso, a deflação que tanto assusta Draghi.

Sim, porque mais que o Siryza, mais que qualquer mudança nos Governos europeus, mais que o terrorismo até, é a deflação que mais põe em causa o funcionamento do capitalismo. É dos manuais.

Sejamos, portanto sérios: não foi o trajeto da austeridade que permitiu que Draghi apresentasse hoje o seu pacote de medidas. Foi, sim, o trajeto da austeridade que determinou que se chegasse aqui e que obrigou Draghi a intervir!

Mas terá sucesso esta intervenção? Acho que é apenas um paliativo, uma espécie de aspirina que baixa a febre mas não cura a doença, debelando as causas da febre.

Enquanto, se continuar a falar em “reformas estruturais”, não vendo que as tais reformas são a causa da depressão económica, do desemprego e da deflação, nunca se poderá progredir numa senda de crescimento económico e de expansão na Europa.

Ou seja, sem investimento publico que fomente o emprego e que impulsione, por sua vez, o investimento privado, não haverá nenhum caminho plausível para o crescimento económico. Mas não haverá investimento público se os Estados continuarem reféns desse garrote que é o Pacto Orçamental e o dogma associado dos 3% de deficit público.

 Porque, não adianta Draghi imprimir moeda já que esta não pode ser usada pelos Governos, pois não podem endividar-se e usar essa moeda para investir, devido às constrições do Pacto Orçamental.

O BCE, com esta medida, acaba de esgotar praticamente todo o arsenal de artilharia compaginável com os seus estatutos atuais. Se nada mudar nos próximos 18 meses, e a devastação continuar a alargar-se, sem crescimento económico e com queda de preços, talvez aí, a Europa e Merkel acordem de vez.

Esperemos que, nessa altura, não seja demasiado tarde

(*) Nota da Redacção: Estátua de Sal é pseudónimo dum professor universitário devidamente reconhecido pelo Noticias Online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *