Grécia: Contra a austeridade, contra as ameaças do dilúvio (por Estátua de Sal*)

SyrisaA Direita não se cansa de produzir análises catastrofistas sobre o resultado das eleições gregas. Primeiro é que não ganhavam. Ganharam. Segundo é que não conseguiriam a maioria absoluta, vão conseguir. Agora é que não vão cumprir o que prometeram. Veremos. Depois é que não se vão entender, porque são um movimento heterogéneo. Veremos.

Tanta menoridade intelectual e incapacidade de perceber a realidade é confrangedora.

Não perceberam nada do que se tem passado estes anos, quer na Grécia quer nos restantes países sobre intervenção das troikas.

A direita faz figas, e deve estar a esta hora a tomar chazinhos, enquanto ameaça com o espectro do Dilúvio.

Acharam que os povos estavam domados. Ainda não estão totalmente.

A Democracia só lhes serve quando os Povos aceitam a vergasta do esbulho e dos seus interesses rapaces.

A Grécia pode falhar? Pode. O Syriza pode não devolver aos cidadãos gregos, de imediato ou curto-médio prazo, os direitos, salários, empregos que lhe foram roubados pelas políticas de austeridade? Pode.

Mas há algo que o Syriza já devolveu ao povo grego: A esperança de que ainda pode lutar e construir outro futuro e outro rumo.

Se a Direita pudesse saber quanto vale a esperança para os deserdados, não continuaria a falar da dívida grega e da necessidade de ela ser paga nos termos acordados, paga com sangue, paga com lágrimas.

A Grécia pode estar com os cofres vazios de euros. Mas o Povo grego passou a estar armado e cheio de uma outra esperança, e que o leva a ter outra crença e outra fé no futuro.

E, como se sabe, a Fé pode mover montanhas.

(*) Nota da Redacção: Estátua de Sal é pseudónimo dum professor universitário devidamente reconhecido pelo Noticias Online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *