Jerónimo “KAMIKAZE” de Sousa

Ontem, Jerónimo de Sousa disse que quem votar no PS pode por em risco a democracia.

É curioso, ver este “operário sindical”, sucessor de um Cunhal que dizia que as eleições eram um “desvio de direita” tão preocupado com a democracia. Se não fosse pedir muito, gostava que o camarada Jerónimo me indicasse um país comunista que seja ( ou tivesse sido) uma democracia…

Mas o que mais surpreende é mesmo o carácter “kamikaze” destas declarações, que até poderiam ter piada, se o caso não fosse tão sério… É que as últimas sondagens revelaram que o próximo governo será, muito provavelmente, formado por uma coligação PS/PCP(CDU). De facto, o PS seria o partido mais votado e o PCP seria o único partido com votos suficientes para formar uma maioria parlamentar (indispensável nos padrões políticos portugueses, face à grande instabilidade que vivemos).

Assim, Jerónimo “demarca-se” do PS, com declarações que, se alguma coerência tiverem, serão um incontornável obstáculo a qualquer coligação, atirando o país para uma situação politicamente precária. Mais uma bela “prenda” que o PCP dá ao sistema que considera ser uma democracia… Dizer que estas declarações são suicidas será, até, bastante simpático…

Mas isto, claro, só tem validade se Seguro conseguir “segurar” estas tendências de voto, coisa da qual, muito sinceramente, muito duvido. Assim como duvido muito (e em primeiro lugar…) que Seguro seja capaz de manter esta insegura liderança do seu partido até às próximas legislativas, sem ser atropelado por António Costa… Principalmente se continuar a manter um registo de incoerência e a levar “banho de bola” de Passos Coelho, como ocorreu no último debate quinzenal na A.R., quando fez uma “entrada a pés juntos” sobre o salário mínimo nacional, olvidando olimpicamente que os Portugueses podem agradecer ao PS por ter sido incluída no programa de ajustamento uma norma que impedia o respectivo aumento.

4 comentários a “Jerónimo “KAMIKAZE” de Sousa”

  1. António Cintra diz:

    Os comunistas já vos topam, não fosse o PS um dos grandes culpados da situação do País, juntamente com os partidos da estupidez, pois nem sei bem onde os enquadrar!

  2. Fernando diz:

    Escusa de perguntar ao camarada Jerónimo, bastava ter dois dedos de testa para não dizer besteira, caso não conheça a legislação do seu país aconselho a que leia a constituição e vai ver que mesmo que o PCP (os famosos comedores de crianças e aplicadores de injecções letais nos velhinhos – comunistas) ganhe passados 4 anos haverá novamente eleições.
    Por outro lado denota desinformação relativamente ao que se passa/passou em países ditos comunistas, não há nem houveram países comunistas, no entanto se aprofundar um pouco as coisas verá que em todos eles quem mais beneficiou (como prova a Venezuela) com estados socialistas pró-comunistas foram os mais desfavorecidos levando a que quem perdeu muito tentasse por todas as formas (incluindo apoio da CIA) para derrubar com todas as tácticas os governos democráticamente eleitos (óbvio que não foram eleitos pelos senhores do dinheiro)

    passar bem!

    • Dino Barbosa diz:

      Meu caro Fernando,
      O primeiro parágrafo do seu comentário é pura e simplesmente ininteligível. Não é possível, por maior que seja o esforço, retirar qualquer utilidade do que ali refere. O que é que o facto de haver eleições de 4 em 4 anos tem a ver com a análise da situação actual? Aliás, esse facto, só reforça o disparate prolatado por Jerónimo de Sousa. A eleição do PS nunca porá em risco a democracia. Porém, estas declarações podem pôr em risco uma eventual coligação do PCP com o PS.
      E no segundo parágrafo, a coisa não melhora. Pelo que percebo, Vossa Excelência ignora que existem países comunistas, tais como Cuba, a Coreia do Norte, ou mesmoo a URSS. É um bocadinho grave, tamanha ignorância. E agora vai-me dizer que os pobres recolheram muitos benefícios nesses países. Pois. Nunca terá visitado nenhum deles. Eu, por acaso, já. E digo-lhe que em qualquer um deles há grandes abismos sociais. Em Cuba, por exemplo, as crianças que de metro a metro pedem esmola, não pedem dinheiro, mas sim comida. Não me vai dizer que a “culpa” é do embargo, porque, comida, não devia faltar num país fértil como Cuba.
      Mas, enfim, no fundo, feri a sua susceptíbilidade facciosa. A resposta através do insulto só demonstra, à saciedade, que nunca um comunista poderá aceitar uma opinão diferente da dele.
      Com a consideração devida,
      D.B.

      • Helena Marques diz:

        É dé recear o aproveitamento situacionista, que os adeptos dé estados totalitários fazem da conjuntura política nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *