Mais humanismo; menos voluntariado

Voluntariado não é currículo; Voluntariado não é prova de carácter;

Voluntariado não requer prova publicitária;

Voluntariado não é substituição de contratação de profissionais;

Voluntariado não é permissão para o não cumprimento de direitos pela parte dos governos.

Fazer voluntariado é dar tempo e espaço a quem dele necessita mantendo o devido respeito pelo anonimato de todos os envolvidos.

Fazer voluntariado é virar as costas a instituições que, a coberto da abnegação e vaidade da população, usam o tempo de cidadania de uns para poupar tostões como entidade empregadora.

Fazer voluntariado é estar atento e triar organizações que tenham no leme a preocupação pelo outro, nunca pelo tempo de antena.

Fazer voluntariado é estar atento aos programas de apoio aos mais vulneráveis e exigir que esse dinheiro lhes chegue, não embarcando na vaidade dispendiosa de permitir que seja gasto para premiar quem se diz abnegado.

Fazer voluntariado é estar atento a família, amigos e vizinhos… auxiliar sem ruído ou espalhafato. O voluntariado não é comércio de vaidades e abusos de poder. Façamos menos barulho…

Rita Maia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.