Nenhum escravo com consciência de ser escravo gosta ou aceita correntes (por Anabela Ferreira)

GetAttachmentNão me apercebi ainda de nenhum adulto à mesa das negociações, do lado das Instituições. Percebo apenas miúdos surdos em plena puberdade que não se comunicam.
Enquanto o mundo não souber viver sem se comunicar abrindo o canal para ver/ouvir a mensagem entre emissor e receptor, o ruído distorcerá a compreensão.
As Instituições BCE e FMI não querem ouvir, nem querem entender os erros, nem lhes interessa. Todos falam em simultâneo querendo ter razão.
Não é possível que haja adultos maduros na comunicação com a Europa que sofre. Falam demasiado sem escutar o que dizem os povos europeus.
Como numa família que se zanga. Todos falam, todos querem a razão mas ninguém se ouve.
Somos culpados quando não silenciamos para ouvir o que nos dizem. Mais culpados somos quando sabemos a razão do mal, deixamos a sua raiz e a regamos, como o fazem as Instituições.
Zeus lança o seu raio sobre o Deus dinheiro que manipula e seduz a vida moderna.
Todos sabemos que qualquer tragédia tem maus resultados para todos os membros da família.
Mas quando os surdos e cegos mantêm a teimosia por uma agenda própria e bastarda, são precisas medidas extremas tal como a mãe de Zeus, Reia, para o salvar.
Entregar uma pedra. Um raio, um trovão que faça cair o castelo de cartas. Que ofereça uma lição.
Não quero viver numa Europa que não respeite os seus cidadãos.
Acredito numa outra alternativa para a vida. E esta como sabemos pelas tragédias que aconteceram ao longo da História humana arranja sempre um caminho.
“O medo está a mudar de lugar” e qualquer outra “narrativa” sobre o jogo que se joga é sintoma do síndroma de Geppetto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *