Terroristas Americanos

Nos Estados Unidos da América promove-se o culto das armas, o culto da morte, o culto do ódio. Tudo isto encapotado e disfarçado com o véu dos direitos, liberdades e garantias individuais. Desde o inicio do ano, nos estados unidos, já foram registados 18 ataques com recurso a armas de fogo, um número que lamentavelmente não irá parar de crescer, um número em relação ao qual aparentemente as próprias autoridades baixaram os braços. É o próprio xerife de Parkland, a localidade na Florida onde se registou o mais recente ataque, que o afirma a dizer “Não há meios para impedir massacres em escolas com armas de fogo”.

O derrotismo, o desespero e a ausência de esperança refletidas nas palavras do xerife de Parkland serão, eventualmente, mais aterradores que as consequências individuais de cada um dos ataques. São o baixar de braços, são a aceitar a inevitabilidade daquilo que tem de ser evitável.

Qualquer energúmeno pode comprar uma arma e matar indiscriminadamente. As razões para esse acto serão, invariavelmente, atribuídas a um qualquer problema mental de que sofre ou sofria o seu autor. Isto porque é americano, sendo americano o autor do atentado o problema é mental, se for por exemplo um muçulmano a matar outras pessoas porque acredita que tem 72 virgens à espera aí já é terrorismo, é fundamentalismo religioso, não há nenhum problema mental inerente.

O ataque de Parkland é um acto de terrorismo, quem o praticou é um terrorista, como todos os terroristas, brancos, pretos, amarelos, católicos, muçulmanos, judeus. Sofrerá, obviamente, de problemas mentais, não há outra explicação para estes actos. São malucos e terroristas.

O Estados Unidos que se arrogam na qualidade de policias do mundo são a principal fonte de problemas deste mesmo mundo. Foram os americanos que formaram Bin Laden, consequentemente são, mesmo que indirectamente, os criadores da sua organização terrorista. Foram os americanos que formaram e criaram o exército islâmico, mais tarde renomeado em estado islâmico, para apoiar os seus interesses económicos e militares no médio oriente.

É uma questão genética, não podemos esquecer quem foram os antepassados dos terroristas que agora se arrogam em policias do mundo, foram os criminosos que exterminaram povos indígenas sempre com os mesmos objectivos, poder, dinheiro, domínio.

Nos Estados Unidos da América por cada 100 habitantes há 90 armas. Grosso modo quase se pode dizer que só os putos que ainda não aprenderam a andar é que não andam armados.

O terrorista que atacou a escola em Parkland pertencia a  um daqueles grupos de fanáticos fundamentalistas que em vez do Corão usam o coirão, dizem-se suprematistas brancos, no fundo terroristas mas, como são americanos diz-se que são actos isolados cometidos por indivíduos desequilibrados psicologicamente. Curioso também o facto do FBI já ter sido informado que algo do género podia acontecer, começa a ser uma constante, sabem tudo, todos sabem mas ninguém faz nada para evitar estas tragédias.

Jacinto Furtado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *