Como se devem tratar os André Ventura desta terra: a Família Coxi, um exemplo de dignidade!

Súbita e felizmente, o nosso meio social, político e judicial foi agitado com o proferimento, por uma Juíza do Juízo Cível de Lisboa, de uma sentença absolutamente notável, não apenas pelos princípios que invoca e aplica, mas também pelo brilhantismo do exemplo que uma tal decisão representa para o cinzentismo, para o formalismo e até…

TAP: Um manto de silêncio sobre ameaças, mentiras e incompetências

As sucessivas barbaridades que têm vindo a ser cometidas na TAP, e não só contra os trabalhadores, mas também contra o próprio interesse nacional, bem como o asfixiante e cúmplice silêncio que sobre elas tem sido mantido (quer pela generalidade das organizações representativas dos trabalhadores e dos próprios partidos políticos, quer por grande parte da…

PALESTINA : UMA GUERRA ATROZ PARA 100 ANOS

Desde que nasci, e isso foi há 72 anos — justamente um ano depois em que as Nações Unidas (1948) retiraram o império britânico da administração do território para ser entregue às organizações judias com a demarcação dos territórios pertencentes aos palestinianos –, que o território da Palestina, é palco de combates entre judeus sionistas…

Eu acredito

Um predador sexual não precisa que a esperança transite em julgado ilibando-o. A lei acoberta-o nos cobertores mais quentinhos. Os amigos abraçam-no e acarinham a pessoa de bem que julgam inocente, porque não conhecem outra. Porque com eles nunca ele manifestou a sua sede por domínio e poder sexual com a vítima. O predador sexual…

Morreu um Homem bom… Mas os Homens bons não morrem nunca!

A notícia, brutal, chegou-me a meio da tarde da última terça-feira: o Mestre Festas morreu! E embora soubesse que ele estava gravemente doente há já longos meses, o meu choque por esta vida, assim ceifada aos 58 anos de idade, foi enorme. Conheci o Mestre Festas há cerca de quatorze anos e meio após o…

A Grandolar por aí

Como seria bom regressar à vida antes do 25 de Abril? No dia 24 de Abril de 1974 eu era ingénua e desconhecia. Desconhecia Grândola e as canções censuradas, desconhecia Catarina Eufémia assassinada pela polícia do regime de Salazar. Desconhecia o facto de mulheres não poderem votar, nem divorciar-se, nem viajar sem autorização dos maridos.…