«Amanhã não há escola, já não há crianças vivas em Gaza!»

10354996_822875161056416_6619120486883510185_nEnquanto em Gaza se chora pelas crianças assassinadas pelos ataques sionistas, dezenas de manifestantes sionistas saem às ruas de Tel Aviv celebrando os avanços do exército sionista com cânticos racistas. No vídeo gravado em 26.Julho, pode-se ver sionistas extremistas que portam bandeiras de Israel e burlam os números dos numerosos palestinianos mortos, especialmente crianças. Os gritos assemelham-se aos típicos cânticos das torcidas de futebol, mas a letra é muito mais preocupante e dolorosa: «amanhã não há escola, já não há crianças em Gaza!

Olé, Olé, Olé, Olé», «Gaza é um cemitério», «morte aos árabes!».

Os manifestantes sionistas, que nenhuma diferença fazem dos grupos de extrema-direita nazi que se vêem na Alemanha, proferiram insultos dirigidos directamente contra Ahmed Tibi e também contra Haneen Zoabi, dois palestinianos com nacionalidade israelita e membros do Parlamento: «Ódio a Tibi o terrorista!», «Tibi está morto!», «Zoabi, é a terra de Israel, é a terra de Israel, Zaobi, é a terra dos judeus», «Te odiamos de verdade Zoabi», «Ódio a todos os árabes» …

Este tipo de manifestações, além de serem consentidas, são igualmente estimuladas pelo regime sionista, e deitam por terra a propaganda de Israel sobre a boa convivência entre judeus e palestinianos que vivem em Israel e têm nacionalidade israelita, que neste caso até são dois deputados do parlamento israelita, o Knesset.

Segundo os dados do Escritório em GAZA das Nações Unidas para a Coordenação dos Assuntos Humanitários fornecidos no mesmo dia 26.Julho em que foi gravado este vídeo com os manifestantes sionistas extremistas, foram mortos em Gaza mais de um milhar de palestinianos, entre os quais mais de 200 crianças.

Que diferença fazem estes jovens energúmenos Sionistas dos que pertenceram à famigerada Juventude Hitleriana ?

Nenhuma ! Estes monstros são ensinados desde que nascem a odiarem os palestinianos, como demonstra aqui (https://www.youtube.com/watch?v=GCcV7AtYgwo&list=RDGCcV7AtYgwo) Nurit Peled-Elhanan, professora de linguagem e educação da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Por Telmo Vaz Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *