Óscar Cardoso um excremento vivo 

Óscar Cardoso, de seu nome completo Óscar Aníbal Piçarra de Castro Cardoso nasceu em Lisboa a 10 de Junho de 1935. No dia 25 de Abril de 1974 estava na sede da Pide, na Rua António Maria Cardoso, juntamente com outros amigalhaços dele entretidos a queimar documentos e a assassinar populares.

O Óscar Aníbal viu em 1992 ser-lhe atribuída por outro Aníbal, o Aníbal Cavaco Silva, uma pensão por relevantes serviços prestados à pátria. O mesmo Aníbal, o Cavaco Silva recusou essa pensão a Salgueiro Maia. Dúvidas houvesse, bastaria este parágrafo para entendermos de que lado esteve sempre o Aníbal, Cavaco Silva.

Passados 50 anos sobre O dia inicial inteiro e limpo, Onde emergimos da noite e do silêncio o Correio da Manha (não é erro ortográfico), o mesmo que criou André Ventura resolveu ir entrevistar um dos eleitores do Chega, obviamente Óscar Cardoso votou Chega como o próprio o afirma, nem outra coisa seria de esperar. Mesmo assim não se coíbe de vaticinar que o rapaz André ainda é um pouco brando. É dar-lhe tempo e espaço e ele faz-se, ai não que não faz.

Ora, na dita entrevista, chamemos-lhe entrevista para evitar utilizar outras palavras para descrever esta coisa abjecta, Óscar Cardoso tem o desplante de gozar com todos aqueles que sofreram às mãos dos facínoras. Afirma Óscar Cardoso que “a PIDE não torturava, a PIDE chateava”. Acrescenta ainda o Aníbal, não o Cavaco, o outro o Cardoso que, “de vez em quando faziam umas brincadeiras”. Questionam-se no que consistiam essas brincadeiras? Pois bem, diz o excremento, perdão o PIDE Aníbal que eram uns choques eléctricos para assustar os presos, mas que aquilo não faziam mal “eram umas cócegas” diz ele enquanto os olhos lhe brilham de saudade e emoção.

50 Anos depois da madrugada que fugiu da escuridão e viu nascer o sol só podemos concluir que de facto vivemos em liberdade. Não se vislumbra outra explicação para que os “Anibais” desta vida tenha passado incólumes durante décadas e ainda tenham o desplante de dar entrevistas e/ou emitir opiniões a gozar com o Povo e com os que sofreram e sofrem com as suas acções.

Quanto aos Manhosos que lhes dão espaço mediático, nada a acrescentar, são o que são o esgoto da comunicação em Portugal.

Jacinto Furtado

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *